Relações com Investidores

PORENG

Endividamento e Ratings

Endividamento e aplicações financeiras

O endividamento bruto em 31 de dezembro de 2020 era de R$ 26,339 bilhões, redução de R$ 2,554 bilhões em relação ao observado no final do 3T20, explicada substancialmente pela variação cambial positiva sobre o endividamento em moeda estrangeira da Companhia e marcação a mercado de instrumentos de swap de taxa de juros, ambos sem efeito caixa material. Outro fator que contribuiu para essa redução foi o pré-pagamento voluntário do valor residual de empréstimo sindicalizado, no montante de US$ 150 milhões, que tinha vencimento em 2023. Da dívida total da Companhia, incluindo operações de financiamento com swap de taxas de real para dólar, R$ 20,556 bilhões, ou 79% (US$ 3,953 bilhões), são denominadas em dólar.

No período, houve estabilidade do prazo médio total de vencimento dos empréstimos e financiamentos, que no final do 3T20 era de 117 meses e encerrou o 4T20 com prazo médio de 116 meses, sendo 65 meses para os empréstimos e financiamentos em moeda local e 128 meses para os em moeda estrangeira. O custo médio dos financiamentos da Klabin em moeda estrangeira, principal fonte de crédito da Companhia, ficou estável no trimestre, mantendo-se em 4,7% a.a. acrescido da variação cambial. No que se refere às dívidas em reais, houve leve aumento no custo financeiro de 4,1% a.a. no 3T20 para 4,3% a.a. no trimestre atual, explicado principalmente pelo aumento do IPCA no período.

O caixa e as aplicações financeiras da Companhia encerraram o trimestre em R$ 6,557 bilhões, redução de R$ 1,283 bilhões em relação ao final do 3T20. Essa redução é explicada principalmente pelo pré-pagamento de dívida realizado no trimestre e pelos desembolsos referentes ao projeto Puma II, que foram em parte compensados pela forte geração de caixa do período. Essa posição de caixa é suficiente para suportar a amortização de 59 meses da dívida. Adicionalmente, a Klabin conta com uma linha de crédito rotativo (Revolving Credit Facility) de US$ 500 milhões (equivalente a R$ 2,600 bilhões), com vencimento em dezembro de 2023 e custo financeiro de 0,4% a.a. Caso a linha seja sacada, o custo deste financiamento será de Libor + 1,35% a.a..

A Klabin também dispõe de financiamentos vinculados à execução do Projeto Puma II, contratados, e parcialmente sacados nos seguintes montantes: (i) BID Invest, IFC e JICA, com saldo a sacar de US$ 700 milhões; (ii) Finnvera, com saldo a sacar de US$ 178 milhões; (iii) BNDES com saldo a sacar de R$ 2 bilhões. Esses financiamentos serão sacados conforme o andamento do Projeto Puma II e/ou necessidade de caixa da Companhia.

O endividamento líquido consolidado em 31 de dezembro de 2020 totalizou R$ 19,782 bilhões, redução de R$ 1,271 bilhões comparado ao verificado no final do 3T20, explicado substancialmente pelo impacto positivo da variação cambial sobre a dívida em dólar. A alavancagem financeira da Companhia mensurada pela relação Dívida Líquida/Ebitda Ajustado medida em dólares, que melhor reflete o perfil de alavancagem financeira da Klabin, manteve-se estável em 4,0 vezes. Como consequência da forte geração de caixa, a despeito dos desembolsos referentes ao investimento do projeto Puma II, a alavancagem financeira manteve-se no mesmo patamar dos últimos trimestres, e dentro dos parâmetros estabelecidos na Política de Endividamento Financeiro da Companhia.

Rating

AGÊNCIA RATING PERSPECTIVA ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO
Standard & Poor’s BB+ Estável Dez-19
Fitch Ratings BB+ Estável Jun-20
Última atualização em 10 de fevereiro de 2021.
Close